SEQTRA Engenharia Logística e Negócios Sustentáveis
Exibindo os artigos em "Notícias"

ANTT proíbe tráfego de caminhões de três ou mais eixos na BR-040 (RJ), em dias específicos

05 fevereiro 2013   //   Por SEQTRA   //   Notícias  //  Sem Comentários

Proibição vale para os caminhões nas sextas-feiras e vésperas de feriados, entre 16 e 22 horas, e nos sábados, 8 às 14 horas, a partir de 8 de fevereiro.

br-040-restricao-caminhoes1

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) determinou por meio da Resolução nº 3.997 a proibição do tráfego de caminhões de mais de três eixos às sextas, sábados e vésperas de feriados, em trechos da rodovia BR-040, Washington Luiz, no Estado do Rio de Janeiro.

Segundo o documento, publicado no Diário Oficial da União, a proibição dos veículos de carga na rodovia Washington Luiz (RJ), a BR-040, compreende o trecho da Serra de Petrópolis (RJ), na pista sentido Rio de Janeiro-Juiz de Fora (MG) – subida, e vale para as sextas-feiras e vésperas de feriados, das 16 às 22 horas, e sábados, das 8 à 14 horas.

A proibição começa a valer no dia 8 de fevereiro e não se aplica a veículos precedidos de batedores, veículos de socorro ou combate a incêndio, de polícia ou fiscalização, de transporte de animais vivos ou cargas perecíveis. A resolução também isenta da proibição os veículos prestadores de serviço de utilidade pública, motonetas, triciclos e quadriciclos, motocicletas com sidecar ou automóveis com carreta, semirreboque o reboque acoplado.

Fonte: http://www.transportabrasil.com.br/2013/02/antt-proibe-trafego-de-caminhoes-de-tres-ou-mais-eixos-na-br-040-rj-em-dias-especificos/

Comitê lança campanha nacional para prevenção da violência sexual no Carnaval

31 janeiro 2013   //   Por SEQTRA   //   Notícias  //  Sem Comentários

O Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes em parceria com as Redes Nacionais de Defesa dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes (Redes DCA) acabam de lançar a campanha de Carnaval de proteção integral dos direitos de crianças e adolescentes.

A campanha traz a frase “Brinque o carnaval sem brincar com os direitos das crianças e adolescentes” e convoca a sociedade para assumir a responsabilidade com a proteção integral dos direitos de crianças e adolescentes do Brasil, principalmente no período de Carnaval, que atrai anualmente número expressivo de turistas nacionais e estrangeiros a diversas cidades brasileiras.

As peças de comunicação da campanha têm como símbolos algumas das manifestações culturais do País, comuns nessa época do ano, como o samba (representando o carnaval nacional), o frevo (carnaval tradicional de Pernambuco), o boi-bumbá ou bumba-meu-boi (tradicional nos estados do Norte e Nordeste), a baiana (representando o carnaval de Salvador), além do palhaço (representando a alegria do carnaval brasileiro).

A campanha tem como objetivo alertar a população para a proteção das nossas crianças e adolescentes das possibilidades de violação de direitos nessa época, como a violência sexual, o trabalho infantil e tráfico para fins de exploração sexual. Todas as peças da campanha estão disponíveis para download por meio do blog: brincandocarnaval.blogspot.com.br.

A Childhood Brasil e a SEQTRA fazem parte desta campanha e convida você a participar também, divulgando as peças por suas redes.

Gasolina sobe 6,6% nas refinarias hoje

30 janeiro 2013   //   Por SEQTRA   //   Notícias  //  Sem Comentários

Diesel fica 5,4% mais caro; alta da gasolina é a primeira que deverá ser sentida pelo consumidor desde 2005. 

Reajuste deve chegar a 4% na bomba, estima consultoria, mas não compensa toda a defasagem com preços internacionais. 

Prestes a divulgar uma queda de lucro e de produção em 2012 e após meses de pressão de sua diretoria e de investidores, a Petrobras anunciou ontem um reajuste na gasolina e no diesel, que deve injetar R$ 600 milhões mensais no caixa da companhia e aliviar as perdas com a diferença dos preços nos mercados externo e interno.

Em negociação com o governo desde o ano passado, o reajuste de 6,6% da gasolina nas refinarias da Petrobras será o primeiro com impacto ao consumidor desde 2005 -desde então o governo abria mão da arrecadação da Cide (tributo federal dos combustíveis) para anular a alta nos postos.

Esse tributo foi zerado no ano passado, logo não pode mais compensar reajustes.

O diesel sofreu aumento menor: de 5,4%, também nas unidades da estatal. Os novos preços já vigoram desde a 0h de hoje.

Como a gasolina recebe uma adição de 20% de álcool (produto com preço menor) antes de ser vendida nos postos, o reajuste não deve chegar na mesma proporção aos consumidores. A consultoria CBIE estima alta de 4% dos preços nas bombas.

Para o presidente do Sincopetro (sindicato dos donos de postos de combustível da cidade de São Paulo), José Alberto Gouveia, o aumento dos preços ao consumidor será “muito próximo” do percentual de reajuste na refinaria.

O Sindicom (sindicato nacional das distribuidoras de combustíveis) também diz que haverá repasse.

Segundo a Petrobras, “o reajuste foi definido levando em consideração a política de preços da companhia, que busca alinhar o preço dos derivados aos valores praticados no mercado internacional em uma perspectiva de médio e longo prazo”.

O CBIE, porém, estima que ainda haja defasagem em relação aos preços internacionais. Antes do reajuste, a gasolina tinha uma diferença de 15%, e o diesel, de 24%.

Adriano Pires, sócio da consultoria, diz que o aumento veio para dar uma “boa notícia ao mercado”, pois o lucro deve cair 15%, e a produção 3%, em 2012. O balanço sai na próxima semana.

Desde 2012, a Petrobras amarga fracos resultados e sua presidente Graça Foster negociava intensamente com o governo o reajuste.

Para Pires, o aumento só foi possível agora porque houve queda do preço da energia elétrica, que trará alívio à inflação e compensará o aumento da gasolina.

“O governo sangrou a Eletrobras [que vai receber menos pela energia gerada] para salvar a Petrobras.”

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mercado/91266-gasolina-sobe-66-nas-refinarias-hoje.shtml

Viveiro de Mudas “Langsdorff”, inaugurado na bacia do Rio Taquaraçu, contribuirá para a Recuperação Ambiental da Bacia.

12 dezembro 2012   //   Por SEQTRA   //   Notícias  //  Sem Comentários

O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas, o Subcomitê do Rio Taquaraçu, a ArcelorMittal(sabará), a SEQTRA Engenharia Logística e a Pau Brasil + Ecologia inauguraram no dia 14 de novembro, o Viveiro de Mudas Langsdorff*, em terreno cedido em comodato pela ArcelorMittal Sabará, na Usina Hidrelétrica Madame Denise, situada no município de Taquaraçu de Minas, Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Estiveram presentes no evento o presidente do CBH Rio das Velhas, Rogério Sepúlveda, a Coordenadora do SCBH Rio Taquaraçu, Derza Nogueira, o Gerente de Meio Ambiente da ArcelorMittal, José Otávio Andrade Franco, o Gerente da Unidade ArcelorMittal – Sabará, Joaquim Ayres Burrel, o Engenheiro da SEQTRA Engenharia Logística, Carlos Pedro Staudt, os Diretores da Pau Brasil + Ecologia, Mariana Morales e Alexandre Castro, Conselheiros do CBH Rio das Velhas e do Subcomitê do Rio Taquaraçu, convidados e a Equipe de Mobilização do CBH Rio das Velhas.

O Viveiro de Mudas Langsdorff é um projeto de parceria entre o CBH Rio das Velhas, o Subcomitê do Rio Taquaraçu, a ArcellorMittal-Sabará, a AGB Peixe Vivo e a SEQTRA Engenharia Logística, contemplando ações de recuperação ambiental e mobilização social para a construção e manutenção de viveiro de mudas, que visa atender ao Programa de Recuperação Ambiental da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas e de seus afluentes.

Esta grande parceria tem como objetivo inicial a recuperação de nascentes e matas ciliares da bacia do Rio Taquaraçu, por meio do projeto Hidroambiental “Envolvimento e Sensibilização das Comunidades a partir da Recuperação de Nascentes e Matas Ciliares do Rio Taquaraçu”, contemplando parte dos territórios dos municípios de Caeté(Ribeiro Bonito), Nova União(Rio Preto) e Taquaraçu de Minas(Córrego Furado).

No primeiro ano do projeto, estima-se uma produção de mais de 30.000 mudas de espécie nativas do cerrado e Mata Atlântica, e as expectativas é que essa produção alcance, em 2015, aproximadamente 150.000 mudas.

Na abertura do evento foi realizado um pronunciamento dos parceiros do projeto abordando sobre a importância da produção dessas mudas e os benefícios que irá trazer para os municípios pertencentes à bacia do Rio Taquaraçu. Também foi apresentado um vídeo demonstrando as áreas mapeadas na primeira etapa do Projeto Hidroambiental do Rio Taquaraçu e os produtores rurais cadastrados que irão receber o plantio das mudas para iniciar o projeto de recuperação ambiental das matas ciliares.

O nome escolhido para o viveiro é uma homenagem ao Barão Georg Heinrich Von Langsdorff, zoólogo, botânico e médico, mentor de uma grandiosa expedição naturalista entre 1821 e 1829. A expedição contou com um grupo de pesquisadores e desenhistas por uma viagem de 17 mil quilômetros, estudando a fauna, a flora e o modo de vida do interior do Brasil. Dentro do roteiro da expedição passou pela da bacia do Rio Taquaraçu registrando e retratando os aspectos naturais e sociais da região.

Fonte: http://www.cbhvelhas.org.br/index.php/noticias/60-noticias-internas/247-vive

Transportes aprova limitador de velocidade para ônibus e caminhões

23 novembro 2012   //   Por SEQTRA   //   Notícias  //  Sem Comentários

Proposta poderá reduzir o número de acidentes envolvendo caminhões e ônibus.

A Comissão de Viação e Transportes aprovou, na quarta-feira (21), proposta que torna obrigatório o equipamento limitador de velocidade nos veículos de transporte de passageiros com mais de dez lugares, nos de transporte escolar e nos caminhões.

A medida está prevista no Projeto de Lei 936/11, do deputado Leonardo Quintão (PMDB-MG), que modifica o Código de Trânsito Brasileiro (Lei 9.503/97).

Hoje, esses veículos já devem contar com um equipamento que registra a velocidade e o tempo automaticamente. O limitador de velocidade seria mais um instrumento obrigatório.

Redução de acidentes

O relator, deputado Lúcio Vale (PR-PA), recomendou a aprovação. Em sua avaliação, a proposta poderá reduzir o número de acidentes envolvendo caminhões e ônibus.

“O índice de acidentes envolvendo caminhões e ônibus, principalmente nas rodovias, é realmente muito alto. Estima-se que um terço dos desastres ocorridos no Brasil tenha a participação desses veículos, apesar de representarem apenas 5% da frota nacional”, observou.

Pela proposta, a regulamentação da medida ficará a cargo do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

Tramitação

O projeto, que tramita em caráter conclusivo, ainda será analisado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta:PL-936/2011 Reportagem – Oscar Telles
Edição – Newton Araújo

Fonte: http://correiodobrasil.com.br/transportes-aprova-limitador-de-velocidade-para-onibus-e-caminhoes/549243/#.UK-nxOR9IhR

Combustível pode ficar até 15% mais caro

21 novembro 2012   //   Por SEQTRA   //   Notícias  //  Sem Comentários

Petrobras quer aumento de gasolina e diesel em 2013 para conseguir manter investimento e obras em andamento.

Ao contrário do reajuste anterior, de junho, nova alta terá que ser passada ao consumidor, com impacto na inflação.

Correndo o risco de interromper investimentos e obras, executivos da Petrobras já falam da necessidade de dois aumentos para a gasolina e o diesel no ano que vem, segundo assessores da presidente Dilma Rousseff.

Nos planos da estatal, a dúvida seria se o aumento viria em fevereiro e de uma vez só -de cerca de 12% a 15%- ou seria seria dividido em dois, um em fevereiro e outro em agosto, de 5% a 6%.

A possibilidade de haver um aumento no ano que vem e outro em 2014 é descartada por conta das eleições.

Futuros reajustes serão necessariamente repassados aos consumidores com impacto sobre a inflação, uma vez que a Cide, contribuição paga pelo setor, já foi zerada para evitar repasses de aumentos anteriores.

O mais recente aumento da gasolina aconteceu em junho, de 7,83%. O preço do diesel sofreu ajuste de 3,94%. O reajuste da gasolina não foi repassado ao consumidor.

INVESTIMENTO

Os preços dos combustíveis estão defasados em cerca de 25% em relação ao mercado internacional, segundo analistas, o que, aliado à queda de produção da companhia, compromete os elevados investimentos, dizem fontes ouvidas pela Folha.

Nos bastidores, fala-se até na hipótese de a empresa ser rebaixada pelas agências de classificação de risco caso o aumento não se concretize.

Com previsão de investir US$ 236,5 bilhões até 2016, além de deter 30% de todos os blocos do pré-sal que serão licitados no ano que vem, a companhia terá que se endividar muito para dar conta de tantos compromissos.

Para evitar eventual queda pelas agência de “rating”, a estatal terá que cortar investimentos em projetos que não começaram ou que estão no início, como as refinarias do Nordeste, o que contraria os planos do governo. Um corte na nota pode elevar os custos de captar dinheiro.

A presidente Graça Foster colocou, em junho, 147 projetos em avaliação, no valor de US$ 27,8 bilhões, sendo metade da área de refino.

PERIGO

Um dado concreto preocupa a cúpula da Petrobras: a relação entre endividamento líquido da estatal sobre o Ebtida (indicador que mede a capacidade de geração de caixa) está perto do quociente 2,5- patamar considerado confortável, mas limite. Se essa razão chegar a 3, a luz de perigo começará a piscar.

Neste ano, a companhia captou US$ 18 bilhões e continua abaixo da meta máxima de alavancagem (relação entre rentabilidade e endividamento), de 35%.

Segundo o balanço do terceiro trimestre, a alavancagem em setembro era de 29%.

Segundo executivos ouvidos pela Folha, na hipótese do reajuste zero, a companhia não chegaria a perder seu “grau de investimento global”, pois nenhum investidor duvidaria da capacidade de uma instituição desse porte deixar de honrar seus compromissos.

Procurada, a assessoria de imprensa da estatal disse que não comentaria o assunto.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mercado/79149-combustivel-pode-ficar-ate-15-mais-caro.shtml

Polícia descobre depósito para caminhões roubados

21 novembro 2012   //   Por SEQTRA   //   Notícias  //  Sem Comentários

A Polícia Civil de São Bernardo estourou ontem um lava-rápido no Jardim Ipê que funcionava como estacionamento para caminhões de carga roubados por quadrilhas especializadas no Trecho Sul do Rodoanel Mário Covas, que passa pelo Grande ABC. No local eram oferecidos serviços como borracharia e mecânica para os criminosos, além de poderem deixar os veículos no tempo necessário para desativar os rastreadores.

As investigações foram conduzidas pelo delegado da Dise (Delegacia de Investiogações Sobre Entorpecentes) Carlos César Rodrigues, em conjunto com equipes do 3º DP (Assunção) da cidade. O objetivo é coibir os constantes roubos de caminhões e carga na via.

O mecânico Flávio Andrade dos Santos, 33 anos, foi autuado em flagrante por receptação, pois se identificou como responsável pelo estabelecimento, na Rua Mathilde Ferreira Marcon. A polícia recuperou com ele uma carreta carregada com 30 mil litros de etanol e um semirreboque que transportava aparelhos de ar-condicionado, já sem a carga.

Segundo Rodrigues, os suspeitos de serem os autores dos roubos já estão identificados e a investigação continuará. “Para nós, é motivo de orgulho o fechamento de lugares como esse, que servem de apoio para o crime organizado”, disse o delegado.

O objetivo, no entanto, é acabar de vez com os roubos, nos quais muitos motoristas sofrem sequestros relâmpagos nas mãos das quadrilhas.

Fonte: http://www.dgabc.com.br/News/5994879/policia-descobre-deposito-para-caminhoes-roubados.aspx

Estradas ruins custam a empresas 13% da receita

01 novembro 2012   //   Por SEQTRA   //   Notícias  //  Sem Comentários

Custo logístico trava investimentos, eleva preços e mina competitividade. Gastos com problemas de rodovias e restrição à circulação urbana chegam a 12% do PIB, diz Dom Cabral

Estradas ruins, carga e descarga em centros urbanos e falta de ferrovias custam às empresas brasileiras 13% de suas receitas brutas.

Em pesquisa inédita, a Fundação Dom Cabral, maior escola de negócios do país, analisou o peso do chamado “custo logístico” de companhias cujas cadeias dependem do transporte de bens.

O transporte de longa distância é o que pesa no fim do mês, responsável por 38% do total, segundo apontaram as 126 empresas ouvidas, que representam 20% do PIB.

O item engloba a manutenção de caminhões e reposição de pneus, um desdobramento das estradas ruins, e custo de combustível. O setor que mais sofre é o agropecuário, seguido do de construção.

Os gastos com infraestrutura não são restritos às empresas, mas elevam os preços ao consumidor e minam a capacidade de a empresa investir, diz Paulo Rezende, coordenador do núcleo de Infraestrutura e Logística da FDC.

“Alguém tem que pagar a conta”, afirma. Em um primeiro momento, são os consumidores que pagam quando as as empresas podem repassar os custos.

Quando não podem, são obrigadas a diminuir a margem operacional e a cortar investimentos. Já as que não suportam o estrangulamento na operação transferem o custo para os produtores.

Apesar dos desdobramentos, o custo logístico não pode ser zerado. A questão levantada é quanto dele se deve a uma infraestrutura ruim. Para chegar à resposta, a FDC comparou a situação brasileira com a dos EUA, um país igualmente continental e com boa infraestrutura.

Enquanto no Brasil, a cada R$ 100 faturado, R$ 13,10 são custo logístico, nos EUA, são R$ 7,50. A diferença entre um e outro é a “ineficiência da logística brasileira”, diz Rezende. “Os produtos do país já partem R$ 5,60 mais caros que os americanos.”

A FDC calculou que o custo logístico representa 12% do PIB. A diferença entre esse nível e os 8% do PIB americano gastos com logística custa ao Brasil US$ 83,2 bilhões.

“Da porteira para dentro, a indústria brasileira moderniza e investe. Na hora que vai transportar, muitos dos ganhos são perdidos.”

Depois dos gastos com estradas ruins, o custo de armazenagem e de distribuição urbana são os que mais pesam.

Para reduzir os custos, 70,7% das empresas citaram como solução melhores ferrovias e que integrem-se a outros meios de transporte.

O alinhamento entre a demanda de empresários e a iniciativa do governo de privatizar ferrovias e estradas anunciada em agosto são “coisa rara”, afirma Rezende. Mas representa um avanço.

O pacote prevê dobrar a extensão das rodovias e das ferrovias nos próximos cinco anos, a um custo de R$ 80 bilhões.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mercado/75265-estradas-ruins-custam-a-empresas-13-da-receita.shtml

SEQTRA investe em projeto de reflorestamento

26 outubro 2012   //   Por SEQTRA   //   Notícias  //  Sem Comentários

Reconhecida e premiada por sua atuação sustentável, a SEQTRA por meio do seu Programa Pegada Neutra tem realizado a neutralização de parte das emissões de gás carbônico e outros gases de efeito estufa decorrentes das suas atividades com o investimento no projeto que envolve a ArcelorMittal e a ONG Peixe Vivo.

O projeto buscar implementar um viveiro para produção de sementes com o objetivo de restaurar áreas degradadas do cerrado brasileiro. Já foram realizadas as coletas de sementes para a produção de mudas de diversas espécies, dentre elas o Mulungu, Pau Ferro, Paineira rosa, Corticeira, Ipê rosa, Ipê amarelo, Jacarandá Caviúna, Ipê felpudo, Pitanga.

Após um cuidadoso trabalho de preparação para o plantio, germinação e replantio, as mudas estarão em breve prontas para serem plantas nos locais determinados para os reflorestamentos. A produção estimada é de 30 mil mudas por ano de 28 variedades de plantas do cerrado.

A previsão para o início do reflorestamento é para maio de 2013.

Confira algumas fotos do projeto:

ANTT amplia fiscalização do pagamento eletrônico de frete

24 outubro 2012   //   Por SEQTRA   //   Notícias  //  Sem Comentários

Unidades regionais do órgão vão atuar não apenas nas estradas, como também nas empresastransportadoras ou de embarcadores.

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) intensifica, a partir deste mês, a fiscalização do pagamento eletrônico de frete. A utilização do mecanismo de papel denominado carta-frete foi proibida em outubro de 2011 em todo o país.

Desde abril deste ano, a fiscalização ocorria em praças de pedágio e em barreiras fiscais. Mas a partir de agora, profissionais de sete unidades regionais da ANTT (no Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Ceará, Maranhão e Bahia) e, em breve, no Distrito Federal, vão acompanhar o cumprimento das normas de forma permanente não apenas nas estradas, como também na sede das empresas transportadoras ou de embarcadores e, ainda, nas empresas que subcontratam serviços de transporte de carga.

Em entrevista à Agência CNT de Notícias, o gerente de fiscalização da ANTT, Marcelo Prado, explicou que a nova atuação é resultado de dois meses de um projeto piloto de consolidação de procedimentos e treinamento de profissionais. “Estamos atuando por meio de denúncias e levantamentos da inteligência de fiscalização da ANTT. As empresas são escolhidas e são avisadas antes de receber nossa visita, temos agora uma fiscalização permanente”, detalha.

As unidades regionais terão poder para atuar em seus próprios estados e também nos estados vizinhos onde ainda não exista representação da ANTT. A unidade que está em fase de implantação no DF, por exemplo, ficará responsável por fiscalizar o pagamento eletrônico em Goiás, Tocantins, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Amazonas e Rondônia.

“A vantagem dessa fiscalização nas empresas é que conseguimos verificar muito mais viagens que na pista. Na empresa temos acesso ao sistema e pedimos cópia dos documentos comprobatórios de embarque, para que possamos verificar se foi gerado, para aquela viagem, o Código Identificador da Operação de Transporte. Assim conseguimos fazer uma fiscalização mais eficaz, sendo, também, um trabalho educativo”, reforça Marcelo Prado.

Multas
De acordo com a ANTT, mais de três mil notificações de infrações foram realizadas. A maioria delas, devido à falta do código identificador da operação, necessária para comprovar o pagamento eletrônico do transporte.

Segundo a Resolução nº 3.658/11, de 19 de abril, entre outras ações, o contratante que efetuar o pagamento do frete, no todo ou em parte, de forma diversa da prevista no documento, deverá ser multado em 50% do valor total de cada frete irregularmente pago, limitada ao mínimo de R$ 550 e ao máximo de R$ 10,5 mil. O texto prevê ainda multa (também de R$ 550 a R$ 10,5 mil) para quem realizar deságio no frete ou cobrança de valor para efetivar os devidos créditos.

O transportador autônomo que permitir o uso da carta-frete também será punido. Além de multa no valor de R$ 550, ele poderá ter seu RNTRC cancelado.

Atualmente, 14 empresas estão habilitadas junto à ANTT para operar o pagamento eletrônico do frete. Confira aqui a relação das mesmas.

Fonte: http://www.cnt.org.br/Paginas/Agencia_Noticia.aspx?n=8577

Páginas:«123456789...18»