SEQTRA Engenharia Logística e Negócios Sustentáveis

Viveiro de Mudas “Langsdorff”, inaugurado na bacia do Rio Taquaraçu, contribuirá para a Recuperação Ambiental da Bacia.

12 dezembro 2012   //   Por SEQTRA   //   Notícias  //  Sem Comentários

O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas, o Subcomitê do Rio Taquaraçu, a ArcelorMittal(sabará), a SEQTRA Engenharia Logística e a Pau Brasil + Ecologia inauguraram no dia 14 de novembro, o Viveiro de Mudas Langsdorff*, em terreno cedido em comodato pela ArcelorMittal Sabará, na Usina Hidrelétrica Madame Denise, situada no município de Taquaraçu de Minas, Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Estiveram presentes no evento o presidente do CBH Rio das Velhas, Rogério Sepúlveda, a Coordenadora do SCBH Rio Taquaraçu, Derza Nogueira, o Gerente de Meio Ambiente da ArcelorMittal, José Otávio Andrade Franco, o Gerente da Unidade ArcelorMittal – Sabará, Joaquim Ayres Burrel, o Engenheiro da SEQTRA Engenharia Logística, Carlos Pedro Staudt, os Diretores da Pau Brasil + Ecologia, Mariana Morales e Alexandre Castro, Conselheiros do CBH Rio das Velhas e do Subcomitê do Rio Taquaraçu, convidados e a Equipe de Mobilização do CBH Rio das Velhas.

O Viveiro de Mudas Langsdorff é um projeto de parceria entre o CBH Rio das Velhas, o Subcomitê do Rio Taquaraçu, a ArcellorMittal-Sabará, a AGB Peixe Vivo e a SEQTRA Engenharia Logística, contemplando ações de recuperação ambiental e mobilização social para a construção e manutenção de viveiro de mudas, que visa atender ao Programa de Recuperação Ambiental da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas e de seus afluentes.

Esta grande parceria tem como objetivo inicial a recuperação de nascentes e matas ciliares da bacia do Rio Taquaraçu, por meio do projeto Hidroambiental “Envolvimento e Sensibilização das Comunidades a partir da Recuperação de Nascentes e Matas Ciliares do Rio Taquaraçu”, contemplando parte dos territórios dos municípios de Caeté(Ribeiro Bonito), Nova União(Rio Preto) e Taquaraçu de Minas(Córrego Furado).

No primeiro ano do projeto, estima-se uma produção de mais de 30.000 mudas de espécie nativas do cerrado e Mata Atlântica, e as expectativas é que essa produção alcance, em 2015, aproximadamente 150.000 mudas.

Na abertura do evento foi realizado um pronunciamento dos parceiros do projeto abordando sobre a importância da produção dessas mudas e os benefícios que irá trazer para os municípios pertencentes à bacia do Rio Taquaraçu. Também foi apresentado um vídeo demonstrando as áreas mapeadas na primeira etapa do Projeto Hidroambiental do Rio Taquaraçu e os produtores rurais cadastrados que irão receber o plantio das mudas para iniciar o projeto de recuperação ambiental das matas ciliares.

O nome escolhido para o viveiro é uma homenagem ao Barão Georg Heinrich Von Langsdorff, zoólogo, botânico e médico, mentor de uma grandiosa expedição naturalista entre 1821 e 1829. A expedição contou com um grupo de pesquisadores e desenhistas por uma viagem de 17 mil quilômetros, estudando a fauna, a flora e o modo de vida do interior do Brasil. Dentro do roteiro da expedição passou pela da bacia do Rio Taquaraçu registrando e retratando os aspectos naturais e sociais da região.

Fonte: http://www.cbhvelhas.org.br/index.php/noticias/60-noticias-internas/247-vive

Deixe um Comentário