SEQTRA Engenharia Logística e Negócios Sustentáveis

Começa “Operação fim de ano” da Polícia Rodoviária Federal

19 dezembro 2011   //   Por Cristiano Tilli Montini   //   Segurança Viária  //  Sem Comentários

Mais de 9.200 agentes vão intensificar fiscalização até o dia 2 de janeiro com o objetivo de prevenir acidentes e combater infrações de trânsito.

A fiscalização da Polícia Rodoviária Federal (PRF) nos 68 mil quilômetros de rodovias federais do país está mais rigorosa a partir desta sexta-feira (16). A operação fim de ano contará com a atuação de 9.200 agentes se revezando em escalas até o dia 2 de janeiro.

Excesso de velocidade, ultrapassagens em locais proibidos e embriaguez ao volante serão o foco de combate da PRF. A fiscalização com bafômetros, radares e viaturas posicionadas em pontos estratégicos serão intensificadas em todo o país.

A recomendação é que os motoristas façam as manutenções necessárias nos veículos antes de viajar e que, durante o percurso, fiquem atentos principalmente nas pistas simples, devido às ultrapassagens, e também à alta velocidade nas pistas duplas.

Confira algumas dicas da Polícia:

Viagem de carro:
Revisão preventiva – Providenciar a checagem do automóvel mesmo para pequenas viagens. Faróis conferidos para ver e ser visto; pneus calibrados e em bom estado; motor revisado, com óleo e nível da água do radiador checados. Não se esquecer de verificar a presença e estado dos equipamentos de porte obrigatório, principalmente pneu estepe, macaco, triângulo e chave de roda, além dos limpadores de pára-brisa e luzes do veículo;

Pausas para descanso – O condutor deve programar paradas, pelo menos, a cada três horas. Quem se expõe a muitas horas dirigindo fica sujeito ao fenômeno da “hipnose rodoviária”, na qual se mantém com os olhos abertos, mas sem percepção da realidade à volta. Ela vem acompanhada de sonolência, perda de reflexos e de força motora.

Viagem de ônibus
Embarcar somente em terminais rodoviários homologados, evitando incentivar o transporte clandestino, que não oferece segurança nem garantias em caso de acidentes;

Em caso de assalto, nunca reagir. É importante lembrar que os criminosos agem rapidamente e sob pressão, podendo confundir gestos e movimentos bruscos.

Aerton Guimarães
Agência CNT de Notícias

Fonte: http://www.cnt.org.br/paginas/Agencia_Noticia.aspx?n=7976

Deixe um Comentário